A elegância que resiste ao tempo

Coragem é uma das qualidades admiráveis de Costanza Pascolato, a maior autoridade de moda e estilo do país. “Sempre agi como homem”, adverte, surpreendendo quem dela espera o modo passivo de se vestir e se comportar. Sem perder charme e ternura, feminista sem fúria, foi à luta para ocupar espaços, defender suas paixões, ser respeitada e conseguir trabalho. Eis que tornou-se Costanza Pascolato. A musa, um sonho de mulher, a maior autoridade em moda e estilo do país. Sua educação não foi uma história de sucesso, mas de resistência.

Em A elegância do agora, a deusa ageless nos revela como chegou aos 80 anos, agora, ativa e curiosa, mais transgressora e elegante do que nunca, disposta a honrar sua existência com toda beleza que houver nesta vida.

Leia um trecho do livro abaixo:

“Não consigo me imaginar saindo malvestida de casa. É como chegar atrasada a um compromisso. Gosto de me apresentar de forma correta, dar o melhor de mim: é um rito de autorrespeito, um gesto de apreço e consideração por quem vou encontrar e pelo próprio dia que tenho pela frente.

Posso estar morrendo mas eu faço. Posso acordar com preguiça, cansaço, não importa. Faço tudo que me determinei a fazer para atravessar cada dia da maneira mais simples e sofisticada possível. Não quero me afastar de mim mesma a esta altura da vida. Prestar atenção em nossa aparência não nos torna superficiais. Mais um mito a ser demolido, tão ultrapassado como a ideia de que estilo depende de gênero, beleza e juventude.

Prestar atenção em nós e deixar o lugar de vítima – inclusive da moda.

O apuro estético com sua imagem lhe dará sentido de competência, expressando o sentimento de estar à vontade com o ambiente, segura diante do grupo. Andar malvestido pode ser falta de cortesia, como invadir o espaço alheio ou falar alto. A gentileza com o outro também se traduz na forma como nos apresentamos.”

FICHA TÉCNICA
Livro: A elegância do agora 
Autor: Costanza Pascolato
Editora: Tordesilhas Livros
Páginas: 216