BUSCA
    
MÍDIA SOCIAL
NEWSLETTER

05 de Março de 2015. Bem-vindo!
Você está em: Home » Catálogo
As joias da coroa
Álvaro Cardoso Gomes
13 x 21 cm
340
Suspenso da polícia e com um ferimento de tiro no braço, as coisas não vão nada bem para o investigador Medeiros. Até que ele aceite o trabalho de recuperar a joia roubada de um milionária excêntrica - e tudo piora. Entre várias garrafas de uísque e embalado por Nina Simone, Medeiros é lançado em um rastro sanguinário na busca pelo Espoir, o diamante mais precioso do mundo. Como se não bastasse, é seguida de perto por alguém cuja única ambição é tirar a sua vida. Com humor ágil e cortante Álvaro Cardoso Gomes conduz o leitor pelas ruas frenéticas e mal iluminadas da noite paulistana. A sutileza com que o autor pinta o mistério aproxima As joias da coroa da aura do romance policial clássico, assim como da mais envolvente safra do bom e velho filme noir.      
Assim mataram Adônis
Sarah Caudwell
13 x 21cm
288
Hilary Tamar dá aulas na faculdade de direito de Oxford e atua como barrister, advogado especializado de acordo com as leis britânicas, no Lincoln´s Inn., uma das quatro associações londrinas às quais esse tipo de jurista deve se filiar. A aventura começa quando a bela e desastrada Julia Larwood, ex-aluna e colega de trabalho de Tamar, decide tirar férias em Veneza na intenção de fazer passeios culturais, saborear a culinária e por em prática seu método pouco ortodoxo de sedução, baseado em uma leitura superficial do poema “Vênus e Adônis” de Shakespeare. Poucos dias depois, Tamar e seus colegas do Lincoln´s Inn. recebem a notícia de que Julia foi presa pela polícia italiana, acusada de matar Ned, o Adônis que havia seduzido. O desenrolar dos fatos se dá pelas cartas de Julia à sua amiga Selena e pelas deduções dos demais barristers, sempre guiados pela figura de Tamar. Dessa forma, a narrativa se desenvolve em contraponto entre as cartas carregadas da franqueza ingênua de Julia e os comentários irônicos e divertidos de seus amigos enquanto leem. É desse contraponto que o mistério surge e é levado a um grau altíssimo de tensão. Assim mataram Adônis é o primeiro livro da celebrada romancista Sara Caudwell, e a aventura de estreia da polêmica personagem Hilary Tamar, cujo gênero não pode ser definido pelo texto em inglês. Desde seu lançamento, em 1981, acumula críticas positivas e admiradores ao redor do mundo, principalmente pela inteligência absorvente com que Caudwell conduz a história sem perder a leveza e o bom humor.      
No limite
Marin Ledun
14 x 21
368
Com uma escrita inteligente e inovadora, Marin Ledun presenteia os fãs do gênero policial com No limite, título de ficção influenciado por um caso real ocorrido na França. Formado em sociologia do trabalho, o autor inspirou-se na onda de suicídios na multinacional France Télécom, hoje Orange, entre 2008 e 2009, período em que mais de trinta funcionários se mataram. Neste romance contundente e de extrema tensão narrativa, Ledun nos apresenta a narradora e personagem principalCarole Matthieu, médica do trabalho de uma grande empresa francesa de telefonia. Seu trabalho consiste em atender os funcionários com disfunções físicas ou psicológicas e, assim,seu consultório é visitado, dia após dia, por funcionários estressados, exaurido, deprimidos, à beira de um ato extremo. Há os que decidem cruzar a linha e tentam se suicidar, e aqueles que vão sendo aniquilados aos poucos, assassinados pela brutalidade de uma empresa que se preocupa apenas com a produtividade e o desempenho econômico. O nível de resistência dos funcionários é continuamente desafiado por rebaixamentos de cargos, transferências repentinas, demissões, tarefas impossíveis de serem realizadas e alta pressão por lucros. Após presenciar essa situação por anos, Carole está frustrada. Frustrada por testemunhar essas pessoas suportarem a pressão até não aguentarem mais, frustrada por observar o rígido sistema do qual os funcionários fazem parte sem conseguir influenciar de forma efetiva as políticas gerenciais da empresa. E toda essa frustraçãodá vazão a um senso bastante peculiar de justiça, a uma obsessão mortal para desmascarar o sistema. E como fazer isso? Aniquilando suas vítimas, a fim de chamar a atenção da sociedade para o mal da ambição desenfreada das grandes corporações. Carole decide, então, assassinar Vincent Fournier, um de seus pacientes com histórico de depressão e sofrimento psicológico devido às pressões da empresa. O ato, pensa Carole, será como um grito de socorro – um sinal de fumaça para que as pessoas prestem atenção no que está acontecendo na empresa. Mas um crime sempre traz consequências imprevistas. Como o bonito e jovem detetive Revel, encarregado do caso; ou o vigia Patrick Soulier, que estava no local na hora do crime; ou, ainda, a confusão mental que Carole enfrenta, entupindo-se de remédios e acompanhando furiosamente a investigação do crime que ela própria cometeu, enquanto planeja seus próximos passos.
O manto verde
John Buchan
14x21cm
360
  Em Os trinta e nove degraus, o aventureiro Richard Hannay não foi capaz de evitar o início da Primeira Guerra Mundial (1914-1918), apesar de seus esforços hercúleos. Em O manto verde reencontramos Hannay em plena batalha, comandando um dos pelotões britânicos. Devido à confiança adquirida graças ao seu ímpeto em combater a Pedra Negra durante sua primeira aventura, o serviço secreto inglês recruta Hannay para uma missão ultra-secreta, a ponto de não poder contar sequer com intervenção do governo, mesmo que ocultamente.  Tudo começa quando um soldado morre em combate no Oriente Médio logo após descobrir um plano que pode determinar o vencedor da guerra. Sabe-se pouco a respeito, mas o governo inglês desconfia que tenha algo a ver com a fé islâmica. Não há nenhuma pista além de três palavras em um pedaço de papel – última mensagem do soldado morto. Hannay recruta três dos melhores aventureiros entre os Aliados, inclusive seu velho amigo e mentor, Peter Pineaar (apenas mencionado em Os trinta e nove degraus), para impedir que a Alemanha alcance o segredo do Oriente Médio antes da Inglaterra. Escrito e publicado em 1916, no auge da Primeira Guerra, O manto verde retrata com maestria a idiossincrasia daquele tempo, sem deixar em momento algum de fornecer um dos enredos mais emocionantes da história da ficção policial.  Como curiosidade, vale mencionar que Alfred Hitchcock, autor da adaptação cinematográfica mais famosa de Os trinta e nove degraus, manifestou abertamente sua preferência por O manto verde e chegou a planejar uma adaptação do livro com Cary Grant e Ingrid Bergman, projeto abortado por problemas de negociação de direitos autorais. Graham Greene também demonstrou seu apreço pelo romance ao escolher seu capítulo inicial, “Propõe-se uma missão”, para figurar em sua antologia de 1957,The spy´s bedside book [“O livro de cabeceira dos espiões”].  
ATENDIMENTO
Rua: Hildebrando T. de Carvalho, 60,
Vila Mariana, São Paulo (SP),
04012-120, Telefax (11) 5572-9474.
DISTRIBUIDORES
Clique aqui e confira a lista de
distribuidores do selo Tordesilhas
no Brasil e no exterior.
CONTATO
Clique aqui para acessar a área de contato e saiba como se comunicar com os departamentos do selo Tordesilhas.
webzero | laboratório de idéias